ESTUDO COLABORATIVO DOS EFEITOS DA VIOLÊNCIA URBANA NO ACESSO DE JOVENS A SERVIÇOS DE SAÚDE NA ÁFRICA DO SUL E NO BRASIL

Período:

Março 2020 - Maio 2021

Descrição:

Em dezembro de 2019, o National Institute of Health Research (NIRH) do Reino Unido aprovou o projeto “Collaborative partnerships addressing the effects of urban violence on youth access to health services in South Africa and Brazil”, submetido pela Essex University, na Inglaterra, em parceria com a University of the Western Cape, na África do Sul, a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRs). Esse projeto tem como objetivo geral investigar as barreiras (e formas de superá-las) criadas pela violência urbana no acesso à saúde dos jovens no Brasil e na África do Sul e fortalecer a parceria entre essas instituições. Trata-se de um projeto colaborativo que propõe desenvolver uma estrutura conceitual e identificar possíveis intervenções que possam ser desenvolvidas por um projeto mais abrangente no futuro. Para tanto, as seguintes etapas estão planejadas ao longo de 15 meses de projeto.

1) Consolidação do consórcio de instituições, por meio de reuniões de trabalho e estabelecimento de convênio de cooperação técnica.

2) Revisão das evidências científicas sobre a influência da violência urbana no acesso aos serviços de saúde e potenciais intervenções que possam ampliar o acesso.

3) Realização de estudo comparativo sobre o impacto da violência urbana no acesso de jovens aos serviços de saúde em comunidades do Brasil e da África do Sul. No Brasil esse estudo será realizado a partir da análise de dados produzidos por pesquisa em andamento no Brasil em duas comunidades. A primeira, Brasilandia, se localiza na cidade de São Paulo e segunda, Restinga, na cidade de Porto Alegre. Ambas comunidades se caracterizam por serem áreas periféricas e empobercidas dessas capitais e possuirem altas taxas de violência e forte presença de tráfico de drogas. Trata-se de uma pesquisa de tipo formativa, com metodologia qualitativa de investigação. Para a coleta de dados estão sendo utilizadas diferentes técnicas: a) observação etnográfica para mapear áreas de interação social – b) entrevistas informais com indivíduos da comunidade; c) entrevistas semiestruturadas com informantes-chave; e d) grupos focais com profissionais da saúde e representantes de organizações comunitárias. Este projeto foi aprovado pelos comitês de ética em pesquisa das duas universidades brasileiras envolvidas (CAAE # 83186518.7.0000.8142 e CAAE # 82184118.5.0000.5347)

4) Envolvimento de lideranças comunitárias, profissionais e gestores de saúde, e formuladores de políticas nas comunidades incluídas no projeto – Criação de um grupo consultivo em cada local de pesquisa.

5) Elaboração de um projeto de intervenção e assinatura de um convenio de cooperação.

Coordenador(a):

Profª. Drª. Regina Barbosa
  • Gill Green – Essex University Dianne Cooper – University of the Western Cape
  • Daniela Riva Knauth – Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Andrea Fachel Leal – Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Regina Maria Barbosa- NEPO/UNICAMP
  • Cristiane Cabral – Faculdade de Saúde Pública/USP

Financiador:

The National Institute of Health Research (NIRH)